InícioCULTURASíndrome do impostor: É preciso deixar morrer o que há de ruim...

Confira

Destaque

Síndrome do impostor: É preciso deixar morrer o que há de ruim para viver

Por Gabriela Bubniak

A transformação interna sempre será a busca para poder encontrar o verdadeiro “eu”, a centelha divina que se encontra dentro de cada pessoa. É exatamente esse tipo de reflexão que A. Bombaim propõe despertar com o livro Morrer antes que você morra.

Escrita em primeira pessoa, esta obra – sem fins lucrativos – reúne a experiência de quem passou por uma transformação e segue em constante luta, uma vez que se existe vida, há algo a ser feito, transformado. Nesta narrativa, A. Bombaim não estabelece uma regra de “como fazer”, mas sim relatar como ele próprio transformou hábitos ruins em hábitos bons.

Dividido em 10 capítulos, Morrer antes que você morra apresenta questionamentos e experiências sobre transformação, ação do ego, atitudes que atrapalham o dia a dia, como encontrar o próprio caminho, movimentos do “eu”, o que segura cada pessoa, como se libertar da parte inferior, o que fazer para se dedicar a iniciação, de que modo juntar todas as peças e, por fim, sobre como seguir esses passos pode ser libertador.

Para escrever este livro, o autor mergulhou não só nos ensinamentos de Buda, mas também em clássicos como “Mahabharata”, “Bhagavad Gita” e “A Doutrina Secreta”. Também traz conhecimentos compartilhados por Sri Aurobindo, Paramahansa Yogananda, Jiddu Krishnamurti mas, principalmente, ensinamentos passado pelos próprios Mestres.

A obra ainda destaca a relação do ser humano com o ego – que engana a todo instante – e reforça que existe a possibilidade da vitória para aqueles que conseguem juntar todos os sentimentos e compreendê-los com o coração (não com o ego inferior). Desta forma, o “eu superior” será alcançado.

Vidas e vidas se passam, até que, um dia, com as ferramentas das minhas Skandas, ou
tendências positivas, meus hábitos positivos, os quais desenvolvi dentro desse ovo, começo
a quebrá-lo, colocando a cabeça e os braços para fora, retirando as cascas presas ainda ao
meu corpo, os cascões, e posso, finalmente, ver a luz que o ovo me impedia de ver, cascas
essas que os hindus chamam de véu de Maya. Sou livre, alcancei a minha libertação,
domino meus hábitos, sou senhor de mim mesmo. Aquele ser preso às Nidhanas,
ou as tendências negativas, não existe mais, aquele homem morreu, encontrei o
meu verdadeiro Eu. 
(Morrer antes que você morra, p. 145)

Com uma escrita simples e clara, A. Bombaim instiga o leitor a encontrar a própria luz, o próprio Mestre, e compreender o significado de “morrer antes de morrer”: descobrir as coisas maravilhosas que podem ser vivenciadas e enxergar dentro si paz e sabedoria. Por meio dessa luz, torna-se possível renascer em um novo mundo cercado de glórias, amor, compaixão e gratidão.

Ficha técnica
Título: Morrer antes que você morra
Autor:  A. Bombaim
Editora: A Luz do Silêncio
ISBN/ASIN: B0BW49PRVB
Páginas: 152
Preço: R$ 35,00
Link de venda: Amazon e site do autor

A autor

A. Bombaim é o pseudônimo de Miguel Naghirniac Neto; pois, assim como Blavatsky e tantos outros, não acha justo colocar seu nome em um conhecimento que está acima dele. Foi diretor de multinacional e, em paralelo, começou sua iniciação aos vinte e cinco anos. Teve grandes mestres, passou por colégios iniciáticos, viajou por muitos países à procura de conhecimento.

É um pesquisador de assuntos relacionados a transformação interior através da leitura de grandes obras de nomes como Helena P. Blavatsky, Patanjali, Mahabharata, Yogananda, Sri Aurobindo, Krishnamurti, Buda e tantos outros. Todos esses conhecimentos, principalmente os dados pelo seu Mestre, aplicou nele próprio, seguindo à risca o que deveria fazer para conseguir a sua transformação. O resultado dessas experiências é relatado no livro.

Tá bombando...