InícioCULTURACurta-metragem de ficção “Marcha à Ré” mostra a paranoia da sociedade polarizada

Confira

Destaque

Curta-metragem de ficção “Marcha à Ré” mostra a paranoia da sociedade polarizada

Dirigido por Beto Macedo e Tiago Berbare, sócios da produtora TILT REC, e roteiro de Flavio Vieira, o filme de 13 minutos, que venceu Melhor Roteiro no GO Film Festival (Goiânia) e selecionado nos festivais Fantasmagoria Medellín, Tietê International Film Awards (São Paulo), Festival Boitatá (Paraná), All The Movies (Brasil) e Sustefest Festival (México), aborda questões sociais por um viés nada comum: o curta-metragem é um thriller psicológico que traz o tema da intolerância à tona.

“Marcha a Ré” conta a história de Eduardo. Em uma noite, ao entrar em sua garagem, acaba ficando preso e tendo alucinações que só são vistas através da câmera de marcha à ré de seu carro de luxo. O protagonista é então confrontado com tudo que ele mais odeia e teme na vida: negros, indígenas, mulheres e pobres. A cada momento, estes personagens surgem para trazer a realidade do mundo para o interior da mente doentia do motorista. Com elementos de filme de terror, na história, o portão automático, que teima em não funcionar, leva Eduardo a perder a cabeça.

Para Beto Macedo, a garagem retratada no curta é o cenário perfeito para criar uma espécie de mito da caverna e mostrar a visão distorcida de quem vive preso nesse emaranhado caótico e perverso de preconceito e violência. “Um jeito de ilustrar a maneira como algumas pessoas enxergam o mundo por uma janela muito pequena e individualizada”, complementa.

“O curta fala sobre como a sociedade – e nós – podemos ser reféns de nossos próprios medos. Acho que tem muito do controle pelo medo, medos impostos, sem fundamentação”, declara Tiago Berbare.

Para o roteirista Flavio Vieira, “Marcha à Ré” é um filme de personagem que tem um lado político bem definido e mostra um homem atormentado pelos próprios medos e preconceitos. “Tudo que o personagem vê é uma projeção distorcida da realidade que ele mesmo alimenta com seu ódio e indiferença. E essa atitude nos trouxe também o nome do filme: ‘Marcha à ré’. Marcha à ré nos costumes, na educação e nos direitos das pessoas. Um blecaute total no campo progressista e humano”, explica.

No elenco estão Diego Machado, Humberto Morais, Stefani Mota, Nyek Freitas, Samya Enes e Ana Elisa Mello.

Garagem foi inspiração

Cena do filme – Foto: Divulgação

Com a previsão de continuar participando de seleções em festivais de cinema nos próximos meses, “Marcha a Ré” nasceu da vontade de o trio explorar novas possibilidades com a câmera. A filmagem foi feita em duas noites na garagem da produtora, espaço que sempre serviu de inspiração para o trio. É aí que surge o ponto de partida para o desenvolvimento da história que chega agora às telas. “Encaixava perfeitamente no roteiro e ainda rolou uma economia. Nós três sempre piramos naquele portão que dá direto pra avenida e sempre quisemos fazer algo lá. Pra isso, contamos com muitas pessoas, profissionais do audiovisual, que embarcaram nessa conosco e que fizeram acontecer”, comenta o diretor.

Acostumados a trabalhar com documentários, clipes e publicidade, a produção de “Marcha a Ré” inaugura uma nova fase na carreira dos profissionais. Este é o primeiro filme de ficção da TILT REC. A produtora atua no mercado publicitário há mais de sete anos criando filmes para grandes marcas e as principais agências do país e desenvolve projetos musicais, documentários e filmes de impacto social. Entre os trabalhos de maior destaque estão “Não Existe Amor SP” e “Cais”, projeto musical e social de Criolo e Milton Nascimento, o videoclipe “Malícia”, de Rincon Sapiência, os premiados documentários “Street River, primeira galeria de arte fluvial da Amazônia” e “Regência Augusta”, filme sobre o crime ambiental de Brumadinho (MG). Na área do entretenimento, filmaram recentemente a quinta temporada do reality #CarnavalDaSabrina para o GNT.

“A inspiração veio da vontade de experimentar ficção, um universo e um tempo que são diferentes do nosso dia a dia. A possibilidade de experimentar, de se arriscar, foi a maior inspiração e um baita aprendizado. Na prática, a teoria é outra”, afirma Berbare.

“A gente propõe é uma reflexão sobre a distorção da realidade. Sobre o que é verdade e mentira. Sobre o medo fabricado e a capacidade que a gente têm de construir fantasmas, personificar eles no outro e perseguir essas figuras que não existem. O agressor, muitas vezes, é alguém reprimido e desconectado da realidade”, explica Beto.

Ficha técnica

Direção

Beto Macedo e Tiago Berbare

Roteiro

Flavio Vieira

Direção de fotografia

Maria Navarro

Montagem e sound design

Tiago Berbare

Assistente de direção

Eduarda Felsman

Dir. Produção

Gabriel Braga

Produção executiva

Bruna Ciccarello

Direção de arte

Alexandre Orion

Cenotécnicos

Carioca e Rafa

Som direto

Caio Neri

Gaffer

Tati Ursulino

1º assistente de câmera

Annie Sanseverino

2º assistente de câmera

Damariz Galvez

 

Figurino

Melissa Gomes

Assistente de figurino

Lidia Vitoria

Produção de casting

Stefani Mota

Efeitistas

Ricardo Argenton

Leonardo Muela

Color grading

Marco Oliveira (CORE Grading)

VFX

Juan Camejo (POST IT)

Trilha adicional

Marcos Gerez

Montagem e Sound Desing

Tiago Berbare

Foto Still

Gabriela Batista

Storyboard

Gilberto Lefevre

Arte

DABBA

Assessoria de imprensa

Agência LEMA

 

Elenco

Diego Machado

Humberto Morais

Stefani Mota

Nyek Freitas

Samya Enes

Ana Elisa Mello

Sobre a Tilt Rec

Um grupo de criadores de imagem, som e narrativas experimentais: projetos culturais, documentários, videoclipes, campanhas publicitárias, séries de entretenimento e filmes de impacto social. Mais informações em Link


Política Distrital nas redes sociais? Curta e Siga em:

YouTube | Instagram | Facebook | Twitter

Tá bombando...